Viver de renda: 3 investimentos para viver do mercado financeiro

Viver de renda: 3 investimentos para viver do mercado financeiro

Finalmente chegamos na terceira e última parte dessa série de artigos sobre viver de renda do mercado financeiro. Nos artigos anteriores falamos sobre esse sonho de muitos brasileiros e te apresentamos sobre Viver de Renda. No primeiro artigo da série te apresentamos essa “novidade” que na verdade nem é tão novidade assim, mas pouca gente conhecia. No segundo artigo falamos sobre quanto você precisa para viver de renda e te explicamos de uma maneira bem básica de como descobrir o investimento necessário para viver de renda. Por último neste artigo iremos te apresentar 3 investimentos que são ótimas opções para você que quer viver de renda.

3 investimentos para viver de renda

Antes de mais nada quero te explicar que poderíamos citar 5 maneiras de viver de renda, as três que iremos apresentar e mais 2 que optamos por não incluir em nossa lista. Decidimos por não indicar o investimento em Tesouro Direto e Poupança pelo fato de que, primeiro, atualmente investir em Tesouro Direto não é tão rentável quanto foi no passado e a Poupança não precisa nem de explicar, todo mundo sabe que a poupança não rende nada. Mas se você quiser descobrir porque o Tesouro Direto (Renda Fixa) não é mais tão atrativo leia este artigo: A renda fixa morreu? Descubra mais, clique aqui!

Dividendos de ações

De fato investir no Tesouro Direto é o perfeito para quem busca estabilidade com a renda fixa, contudo devido as recentes cortes na taxa Selic, o rendimento da Renda Fixa caiu muito e atualmente está perdendo para a inflação. Por isso a renda variável tem atraído mais e mais investidores. Mas dá pra investir em ações pensando em viver de renda?

A resposta é um belo e sonoro, sim. Investir em ações também possibilitam ganhos interessantes. Vale destacar que atualmente tem gerado rendimentos bem mais os bem superiores que os da renda fixa. Contudo, o pesadelo dos investidores na renda variável é que nesse tipo de investimento há o risco de perda. Mesmo assim é uma ótima opção. Nossa dica é: Invista pensando no longo prazo, invista em ações de empresas que pagam dividendos periodicamente. Fique atento o mercado de ações é muito volátil, portanto, diversifique sua carteira.

Fundos Imobiliários

Os Fundos Imobiliários também são do mesmo categoria das ações. Investir em FIIs possibilita que o investidor aplique seu dinheiro em imóveis, apesar de não estar comprando nenhum imóvel.

O investidor compra cotas dos Fundos Imobiliários, uma das vantagens de investir nos fundos Imobiliários, é a possibilidade de receber periodicamente o valor do “aluguel”. É um investimento muito semelhante com os pagamentos de dividendos, porém com muito mais frequência.

Previdência Privada

A Previdência Privada é para quem quer a tranquilidade de investir tendo a certeza que de uma hora pra outra seu patrimônio não irá desvalorizar. Como o nome já diz, ela é, um investimento de longo prazo, com foco na aposentadoria. Em outras palavras, a intenção de quem investe numa Previdência Privada é saber que no longo prazo não dependerá única e exclusivamente do INSS para pagar suas contas. De fato a Previdência Privada funciona muito semelhante a renda fixa, mas o investidor precisa focar no longo prazo.

Quer aprender mais sobre investimento na bolsa de valores e no mercado financeiro? Acesse o site guiadoinvestidor.com.br

Leia também: Coluna do TradingView: descanso pós-corrida

Leia também: Alta do Bitcoin demanda cautela, recomenda famoso analista

Leia também: Rumo aos 100 Mil #10 | 104% de rentabilidade no Bitcoin em 2020

Aviso: O texto apresentado nesta coluna não reflete necessariamente a opinião do CriptoFácil

BTC LAST NEWS: Crupto Facil