Site da campanha de Trump é invadido e hackers pedem resgate em Monero

Site da campanha de Trump é invadido e hackers pedem resgate em Monero

O site da campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi brevemente comprometido na terça-feira (27). O presidente é atual candidato à reeleição no país.

Segundo o New York Times, hackers procuraram roubar criptomoedas de apoiadores desavisados ​​nos últimos dias antes da eleição de 2020.

O ataque durou menos de 30 minutos. A foto abaixo mostra uma das mensagens postada pelos hackers após o ataque.

“O mundo está cheio das fake news espalhadas diariamente pelo presidente Donald J. trump. É hora de permitir ao mundo conhecer a verdade”, diz parte da mensagem.

Site da campanha de Trump
Site da campanha de Trump

Hackers pedem Monero em troca de informações

O ataque mostrou um claro tom de ameaça. As demais mensagens alegavam que os hackers tinham informações comprometedoras sobre Trump e sua família.

Os cibercriminosos disseram que comprometeram “vários dispositivos” ligados ao presidente. Isso teria lhes dado acesso às “conversas mais internas e secretas” de Trump e seu círculo íntimo.

Segundo a matéria, os hackers estavam solicitando doações em Monero a quem acessasse o site. No entanto, o ataque tinha um ponto peculiar: haviam duas carteiras. Ambas faziam parte de uma escolha.

As pessoas poderiam doar Monero para uma carteira que levasse os hackers a “compartilhar os dados” ao público. Por outro lado, existia uma segunda carteira para quem defendia manter os dados privados.

Supostamente, a carteira com mais doações determinaria o destino dos dados.

“Depois do prazo, vamos comparar os fundos e executar a vontade do mundo”, escreveram.

No entanto, os hackers não especificaram um prazo para liberação.

Ataques preocupam a uma semana da eleição

Os ataques ocorreram menos de uma semana antes da data das eleições. O pleito ocorrerá no dia 3 de novembro.

A origem do ataque não é clara. Uma investigação está sendo conduzida pelas autoridades policiais dos EUA.

Porém, o New York Times também alegou que o ataque parecia ser uma variação de um esquema comum de “distribuição” de criptomoedas.

Esses golpes pedem às pessoas que enviem dinheiro para um determinado endereço. Em troca, oferecem a falsa promessa de duplicar os fundos da vítima ou, no caso, divulgar informações.

Conforme relatou o CriptoFácil, ataques semelhantes atingiram grandes contas no Twitter em julho. Uma delas foi a de Joe Biden, adversário de Trump na corrida presidencial.

Leia também: Veja 5 indicadores do mercado de criptomoedas que merecem atenção

Leia também: Criptomoedas superam ações em mercado temendo a Covid-19

Leia também: Imposto sobre o PIX pode ser criado, afirma especialista

BTC LAST NEWS: Crupto Facil