Segurança do PIX é “extremamente frágil”, alerta ex-diretor do Bacen

Segurança do PIX é "extremamente frágil", alerta ex-diretor do Bacen

O economista e ex-diretor do Banco Central (Bacen), Beny Parnes, criticou de forma incisiva o novo sistema de pagamentos instantâneos da autoridade monetária, o PIX.

Segundo ele, embora a ideia do PIX seja muito boa, sua segurança é “extremamente frágil”.

Digitalização impulsionará as fraudes

Conforme noticiou a ÉPOCA Negócios, Parnes também desaprovou a rapidez de lançamento do PIX:

“PIX é interessante, mas eu acho que tem preocupações que têm que ser tomadas e eu acho que a velocidade não está permitindo isso. Acho que tem que ir com calma, mais calma. Não há essa necessidade de fazer as coisas tão rápido, ainda mais agora”, disse em uma live do BTG Pactual em parceria com a PUC-Rio.

De acordo com o executivo, a segurança é frágil porque o cadastro no PIX é muito simples para um país como o Brasil.

“Eu não tenho PIX. Eu não quero correr o risco de ser assaltado na rua e ter que digitar lá uma senha de celular e o limite de transação do PIX ser igual dos meus TEDs”, disse ele.

Parnes sustentou que a pandemia de Covid-19 impulsionou as transações digitais e, consequentemente, o número de fraudes financeiras.

Além disso, ele disse que essas fraudes podem crescer ainda mais com o processo de digitalização conduzido pelo Bacen atualmente.

Open Banking

O Open Banking, sistema que dará aos clientes de instituições financeiras o controle sobre seus dados cadastrais e de transações, também foi criticado pelo ex-diretor.

Ele enfatizou que não vai ceder seus dados. Isso porque, conforme defende, o limite do cartão de crédito será um dado que vai circular e poderá ser mal utilizado. 

Ainda de acordo com Parnes, o open banking tem questões “mal resolvidas” sobre a abertura de dados. Ele mencionou especificamente as leis de responsabilidade social e de sigilo bancário:

“Essa lei de compartilhamento de informações é boa, mas tem que ser muito bem pensada. E eu acho que está fácil demais. E daqui a pouco vai começar a ter fraude. O Brasil é um paraíso de fraudes”, opinou.

O modelo de Open Banking do Banco Central começará a funcionar no final deste ano. Esse projeto faz parte da agenda institucional do Bacen que visa melhorar a competitividade no sistema financeiro.

O presidente do Bacen, Roberto Campos Neto, já disse que o sistema vai englobar todos os produtos financeiros no Brasil – incluindo serviços de seguros e investimentos.

Leia também: Indicadores apontam: é hora de comprar Bitcoin

Leia também: Desde 2019, Bitcoin é o ativo com maior rendimento no Brasil

Leia também: Bancos ajudaram a lavar mais de R$ 10 trilhões, revelam documentos

BTC LAST NEWS: Crupto Facil