Receita dos EUA está monitorando criptomoedas com ajuda de grande empresa

Receita dos EUA está monitorando criptomoedas com ajuda de grande empresa

A Receita dos Estados Unidos (IRS) contratou as empresas Chainalysis e Integra FEC para aumentar sua tributação sobre criptomoedas.

Às companhias, a autoridade tributária solicitou um sistema que permita que seus funcionários rastreiem transações em Monero em soluções de segunda camada.

A IRS citou, especificamente, as plataformas Lightning Network e Raiden no Ethereum.

Ao todo, a Receita Federal dos EUA vai conceder US$ 1,25 milhão. A IRS quer que a plataforma piloto entre na fase de testes em, no máximo, oito meses.

A agência explicou que, atualmente, existem recursos limitados para rastrear transações com criptomoedas privadas, como Monero. Além disso, disse que há “outras transações fora da cadeia que fornecem privacidade a agentes ilícitos”.

Leão em cima das criptomoedas

As propostas de Chainalysis e Integra FEC devem focar, portanto em três objetivos.

O primeiro é fornecer informação e capacitação técnica para que os agentes de investigação criminal possam rastrear as transações de entrada e saída até um determinado usuário.

Por outro lado, o sistema também deve ser capaz de diferenciá-los dos mixers do Monero e da rede Bitcoin Lightning.

O segundo objetivo é fornecer um método que permita aos agentes prever as probabilidades de outras operações. A ferramenta também deverá ajudá-los a encontrar metadados e identificadores públicos de transações.

Por fim, o terceiro objetivo diz respeito aos algoritmos e ao código-fonte da solução. Essas informações devem ser repassadas à unidade de investigação criminal para que ela modifique ou desenvolva novas capacidades.

Projeto em fases

Os projetos selecionados serão apresentados em duas fases. A primeira fase inclui a prova de conceito, um sistema de trabalho inicial e entrada de dados. Essa etapa vai durar oito meses e terá uma remuneração de US$ 500 mil para cada empresa.

“A Fase 1 consistirá em uma demonstração que deve produzir resultados úteis em uma variedade de investigações de unidades de análise de crime de criptomoeda do mundo real envolvendo Monero e/ou a rede Lightning”, disse o IRS em um comunicado.

Já a fase 2 realizará testes e implantação inicial. Essa etapa terá duração de quatro meses e inclui o desembolso dos US$ 125.000 restantes para cada empresa..

Nesse momento, s desenvolvedores das empresas contratadas e os agentes especiais precisarão ajustar o sistema para maior precisão.

A Receita Federal é um dos órgãos públicos dos Estados Unidos que mais atuam no controle de criptomoedas, seja na área tributária ou em investigações criminais.

Leia também: Token valoriza 9.000% e pode crescer ainda mais, prevê empresa

Leia também: Veterano lista 3 criptomoedas que podem disparar em outubro

Leia também: Regulador dos Estados Unidos elogia Bitcoin em processo contra a BitMEX

BTC LAST NEWS: Crupto Facil