PIX: saques no comércio começam só em 2021

PIX: saques no comércio começam só em 2021

O Banco Central (Bacen) anunciou que, a partir do 2º trimestre de 2021, já será possível realizar saques em estabelecimentos comerciais via PIX.

Segundo a autoridade monetária, a solução visa dar mais opções de saque para a população, já que o consumidor poderá sacar dinheiro em lojas e outros comércios sem precisar ir ao caixa eletrônico.

Saques no varejo

Na segunda-feira (14), o Bacen detalhou no Twitter que está desenvolvendo um projeto para possibilitar os saques.

“A possibilidade de sacar em estabelecimentos comerciais vai dar mais opções de saque para toda a população, independentemente da instituição na qual os cidadãos possuam conta, além de trazer mais conveniência e capilaridade ao serviço”, disse o Bacen.

Conforme noticiou o CriptoFácil, em 22 de julho o presidente do Bacen, Roberto Campos Neto, já havia adiantado a possibilidade de saques na rede varejista com o PIX. 

Na ocasião, ele destacou que o novo serviço vai trazer mais eficiência. Isso porque o dinheiro poderá ser reutilizado no varejo e a rede será aproveitada.

Além disso, o presidente observou que a solução busca fomentar a competição entre as instituições para ofertarem o saque. Por outro lado, a iniciativa ainda tem potencial de reduzir o custo logístico e operacional.

Sobre o PIX

O Sistema de Pagamentos Instantâneos do Bacen será lançado oficialmente em 16 de novembro.

O PIX promete substituir transações com dinheiro em espécie e transferências bancárias DOC e TED.

A ferramenta funcionará 24 horas por dia, 7 dias por semana, com pagamentos processados em segundos. Outra novidade é que, segundo o BACEN, o PIX será gratuito para pessoas físicas.

Antes do lançamento oficial, haverá o cadastro das chamadas Chaves PIX, previsto para iniciar em 5 de outubro. 

Essas chaves, que podem ser o número de celular, CPF, CNPJ ou e-mail, serão necessárias para operar a carteira digital.

Ou seja, quando o usuário for receber uma transação PIX, só precisará informar a chave e não mais todos os dados bancários (agência, conta, CPF etc), como é feito atualmente.

Alguns bancos, principalmente os digitais, já anteciparam essa etapa e estão fazendo o pré-cadastro das chaves dos clientes.

Leia também: PIX: especialista fala sobre segurança do sistema de pagamentos

Leia também: Santander: classificação própria das exchanges é positivo

Leia também: Mesmo com riscos, número de day traders dobra em 2020

BTC LAST NEWS: Crupto Facil