Pernambuco pode colocar blockchain em plano estadual de educação

Avatar



Bandeira do Estado de Pernambuco

O Estado de Pernambuco pode ser o primeiro no Brasil a colocar o ensino de Blockchain na grade curricular dos jovens.

A blockchain é uma tecnologia que propicia a segurança no armazenamento de dados pela internet, fazendo que essas tenham transparência, imutabilidade e total segurança, garantida pela criptografia.

Vale lembrar que a blockchain ganhou notório destaque pelo mundo após sua aplicação no Bitcoin, a maior moeda digital já criada pela internet, sendo hoje considerada um sistema de reserva de valor e meio de pagamento por muitas pessoas.

Em um ambiente de inovação, essa tem sido cada vez mais utilizada pelo mundo por empresas e governos, que buscam avançar em soluções cada vez mais presentes em um ambiente digital.

Pernambuco poderá ensinar blockchain para jovens em escolas em breve

Em Pernambuco, o Plano Estadual de Educação – PEE, foi aprovado pela Lei n.º 15.533, de 23 de junho de 2015, com validade de 10 anos.

Entre as diretrizes do PEE, está a erradicação do analfabetismo, melhoria da qualidade da educação, promoção humanística e científica dos alunos, entre outras igualmente importantes.

A cada período estipulado pela lei, deve haver revisões sobre o andamento da legislação, acompanhando sobre a implementação desta na prática.

Mas recentemente, a Comissão de Constituição, Legislação e Justiça da Assembleia Estadual de Pernambuco propôs um substitutivo a um projeto de lei de 2020, com a proposta de incluir no ensino estadual tecnologias para o mundo pós-pandemia.

Na última sexta-feira (19) então, foi publicado no Diário Oficial de Pernambuco que a Comissão Permanente que avaliava o pedido de se incluir o ensino de blockchain no plano estadual fosse aprovado.

A proposição em apreço visa a acrescentar na Lei n.º 15.533/2015, que aprova o Plano Estadual de Educação – PEE, diretrizes educacionais voltadas ao período pós-pandemia da covid-19, doença que, apesar do grande impacto negativo, trouxe amadurecimento e novas experiências à comunidade escolar.

Conforme justificativa anexa ao projeto, a inovação proposta busca preparar os alunos para o mercado do futuro, onde serão cada vez mais utilizados plataformas, mídias e  Dispositivos digitais como Robótica, BlockChain,  Realidades Virtuais e Aumentada, Big Data e Inteligência Artificial, entre outras“.

Após a leitura da matéria, a relatora Priscila Krause concordou com a aprovação do projeto na Comissão de Ciência, Tecnologia e Informática. Outros três deputados estaduais votaram a favor dessa inclusão, sendo Professor Paulo Dutra, Fabíola Cabral e Teresa Leitão.

Com o parecer favorável, o projeto agora deverá tramitar dentro da ALEPE até sua aprovação final, que pode colocar Pernambuco como o primeiro estado brasileiro a oferecer o ensino de blockchain na rede pública de ensino.

Vale lembrar que recentemente o estado de Pernambuco já mostrou estudos em um passaporte de vacinação com tecnologia blockchain, mostrando que já busca aplicar a tecnologia em sua rede de educação.

Fonte: Livecoins

Marketcrypto.com.br: Livecoins

EnglishGermanPortugueseRussian