Pagar resgate em ransomware será crime nos EUA

Pagar resgate em ransomware será crime nos EUA

Se você tem uma empresa nos Estados Unidos e foi atacado por um ransomware que criptografou seus dados e impediu você de acessar as informações da sua companhia, então, certamente você deve estar bravo.

Porém, se você está pensando em pagar os Bitcoins pedido pelo hackers para ter acesso novamente aos seus dados, então você vai ficar mais bravo ainda.

Isso porque os EUA querem tornar o pagamento de resgate nestes casos um crime.

Nesse sentido, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos advertiu que as vítimas de ataques de que pagarem o resgate pelos arquivos criptografados podem enfrentar penas severas.

É crime pagar por resgate de dados

Em uma nota, o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) disse que todos podem ser enquadrados como criminosos.

Isso vale tanto para vítimas que pagarem o resgate quanto para empresas que facilitarem os pagamentos. Ou seja, exchanges e bancos tradicional que forem usados pelos hackers para receber dinheiro podem ser processadas criminalmente.

No entanto, o documento não esclarece se essas sanções só serão aplicáveis ​​quando os eventos ocorrerem nos EUA.

Segundo o comunicado, esses pagamentos são um incentivo para os criminosos participarem de ataques futuros. Além disso, o documento esclarece que o pagamento do resgate não garante que a vítima recuperará os dados roubados.

O Departamento também explicou que as empresas devem notificar as agências de aplicação da lei após sofrerem um ataque.

Nesse caso, a decisão de cooperar com as autoridades pode servir como fator atenuante caso envolva um nexo de sanções.

Ransomware ataca os Estados Unidos

O alerta veio depois que o agente especial do FBI, Joel DeCapua disse, em uma conferência realizada em fevereiro, que as vítimas de ransomware pagaram a criminosos mais de US$ 140 milhões em Bitcoin nos últimos seis anos e meio.

Agora, em resposta aos casos de ransomware que explodiram nos últimos anos, o Departamento do Tesouro impôs sanções financeiras a vários cibercriminosos.

Houve, por exemplo, congelamento de todos os ativos desses criminosos nos Estados Unidos. O país ainda proibiu os estadunidenses de negociar com esses atores.

A lista de restrições inclui vários operadores de ransomware com laços com o Irã, Coréia do Norte e Rússia.

Leia também: Veterano prevê Bitcoin a R$ 250 mil daqui 2 anos

Leia também: Ações poderão ser tokenizadas nos Estados Unidos, afirma SEC

Leia também: Regulador dos Estados Unidos elogia Bitcoin em processo contra a BitMEX

BTC LAST NEWS: Crupto Facil