“Otimismo com Bitcoin, risco em outras criptomoedas”, afirma veterano

"Otimismo com Bitcoin, risco em outras criptomoedas", afirma veterano

Após ter atingido uma alta recorde de preços de mais de US$ 24 mil (R$ 124 mil no Brasil), o preço do Bitcoin (BTC) se consolidou, com uma ligeira queda no preço.

O ativo pode ter estagnado por enquanto, mas o futuro permanece otimista. É o que afirma o gerente geral da TradingView, Pierce Crosby.

Para ele, a alta do Bitcoin não está próxima de arrefecer. Isso porque, em sua visão, não existem “eventos negativos de curto prazo” para a criptomoeda.

“No momento, não vejo ventos contrários a curto prazo para o BTC. O desempenho recente pode parecer parabólico, mas não esperamos nenhum evento negativo de curto prazo. Isso cria um cenário de alta no preço”, explicou.

Se o otimismo de Crosby com o Bitcoin é grande, o mesmo não se dá com as altcoins. Na visão do executivo, essas criptomoedas possuem menos confiança.

“Tenho menos confiança em Altcoins, especialmente à medida que ocorre a rotação para ‘maiores’”, disse ele.

O termo “maiores” refere-se à parcela de criptomoedas com grande valor de mercado. Isso geralmente acontece quando o BTC está em momentos de baixa – o que não é o caso agora.

“Poderíamos esperar uma rotação de volta para as altcoins na primavera. Mas infelizmente para os ‘amantes das altcoins’, o BTC está em uma posição mais forte relativamente falando”, disse.

Bitcoin estabiliza em patamar alto

Com uma nova alta histórica, muitas pessoas comparam o momento atual do Bitcoin com 2017. Naquele ano, a valorização também foi intensa e repentina.

A título de comparação, o Bitcoin se valorizou quase 100% entre novembro e dezembro de 2017. Ele saiu de quase US$ 10 mil para a máxima de US$ 19.666.

No entanto, o mercado viu uma correção logo no mês seguinte. A queda forte continuou por todo o ano seguinte, tornando 2018 um período de forte baixa no Bitcoin.

No passado, os períodos de baixa do Bitcoin resultavam no fluxo de dinheiro para altcoins. O ano de 2018 foi um exemplo disso, com criptomoedas como Ether (ETH) atingindo suas máximas históricas.

No entanto, dessa vez foi diferente. Desde o recorde de US$ 24 mil, o Bitcoin teve um breve recuo, mas não deu sinais de fortes quedas.

Leia também: Mais uma empresa listada na Nasdaq investe em Bitcoin

Leia também: Fim da alta do Bitcoin pode demorar, apontam dados

Leia também: Binance revela 5 criptomoedas mais negociadas na exchange em 2020

BTC LAST NEWS: Crupto Facil