O que é a Chainlink (LINK)?

Avatar



A Chainlink (LINK) é um dos projetos mais usados no setor de criptomoedas. Ela ajuda diferentes blockchains a interagirem entre si e também com fontes externas.

Como possui conexão com o mundo físico, consegue de desenvolver soluções não só para o criptomercado, mas também para negócios tradicionais, como empresas. Por ser uma ponte para informações valiosas no elo entre os dois mundos, ela também se torna valiosa.

Sua versão Chainlink 2.0 promete inovar o criptomercado ao fornecer suporte e possibilitar gamas de usos muito mais amplas do que atualmente.

O que é?

A Chainlink é a ponte que liga os contratos inteligentes (smart contracts) às informações do mundo real (off-chain), fornecida pelos oráculos, para dentro de uma blockchain.

Caso ainda não saiba, os smart contracts são contratos digitais programáveis que se auto-executam quando determinadas condições combinadas previamente são satisfeitas.

Suas principais características são:

  • Rede descentralizada de oráculos, uma tecnologia de blockchain usada para interagir com o mundo off-line.
  • Consegue transferir informações entre diferentes sistemas, sem a necessidade de intermediários.
  • LINK é seu token.
  • É nativa da rede Ethereum (formato ERC-20).
  • Um dos principais players no campo de processamento de dados e da sua categoria.

Atualmente está em processo de implementação dos seus produtos de melhorias, onde “surgirá” a Chainlink 2.0, como veremos mais detalhes adiante.

Como surgiu?

  • Foi fundada pelo empreendedor russo Sergey Nazarov.
  • A sua oferta inicial de tokens (ICO ou Initial Coin Offering) aconteceu em 2017.
  • O número de 1 bilhão do criptoativo LINK foram criados, sendo 350 milhões disponibilizados no ICO.
  • A rede tornou-se realmente efetiva em 2019.

Como funciona?

Todas as plataformas se juntam a uma rede descentralizada da Chainlink, sendo que sua descentralização ajuda a impedir conflitos na transmissão de dados entre diferentes sistemas.

Ela usa vários nós (pontos de conexão e validação) para fornecer dados a contratos inteligentes e evitar pontos únicos de falha.

Por de possuir participação descentralizada, garante não só a segurança, mas também que qualquer usuário que deseje possa contribuir com a rede.

Antes da sua solução, um banco de dados que precisava receber ou levar uma informação externa tinha que confiar em terceiros. Ou seja, precisava da confiança de alguém. Com ela, isso não é mais preciso.

Pra que serve?

Por usar a tecnologia dos contratos inteligentes e ser uma ponte entre o on-line e o off-line, possibilita o desenvolvimento de inúmeros modelos de negócios.

O resultado de uma partida de futebol e o preço de uma passagem aérea, por exemplo, podem ser transmitido para dentro do blockchain de forma segura, sem receio de qualquer tipo de manipulação externa.

Atualização Chainlink 2.0:

A Chainlink 2.0 representa um novo modelo da interoperabilidade múltipla de Redes Descentralizadas de Oráculos (DONs), cujo objetivo final visa a descentralização e escalabilidade de serviços de blockchains.

O Whitepaper que divulgou seus produtos de inovação contém de 136 páginas. Nele, é verificável que há três pontos principais da nova LINK:

  1. Staking:

Uma das maiores críticas em relação a Chainlink era o fato desta não possuir uma política de staking bem estabelecida.

O paper definiu de forma clara como será a política monetária do ativo, com um formato que dá privilégios para os oráculos que informam as melhores informações para rede e pune de forma severa players que tomam ações maliciosas contra a rede.

What is Crypto Staking?. Understand this new technology and… | by Israel Miles | Level Up Coding

2. Privacidade:

É citado diversos produtos visando a privacidade dos usuários de seus oráculos.

O objetivo com isso é ter um sistema robustos de criptografia de dados e promover a criação de ambientes seguros para os oráculos fornecerem suas informações.

3. Escalabilidade:

A atualização também facilitará a utilização dos seus oráculos para o usuário final. Com isso, sua adoção será maior, o que acaba reduzindo os altos custos de taxas das blockchains.

Além disso, ela também tem planos para integrações com soluções de segunda camada — como os Rollups —, o que aumenta ainda mais a usabilidade da rede e deve refletir de forma positiva no preço do ativo.

Escalabilidade de Negócios | EMPREENDEDORISMO

 

Em resumo, seus avanços irão desbloquear uma gama de casos de uso de smart contracts de última geração em qualquer blockchain. Como consequência, irá impactar, de forma positiva, todo o ecossistema.

Antes, “apenas” as Finanças Descentralizadas (DeFi) eram extremamente dependente da sua tecnologia. Com a Chainlink 2.0, seu sistema também será usado ​​para aplicações emergentes em seguros, jogos, NFTs e muito mais.

Como consequência, a Chainlink 2.0 possui o potencial de revolucionar o ativo e todo criptomercado, impactando significativamente o seu preço.

Onde e pra quem suas soluções são importantes?

Como mencionado anteriormente, a Chainlink agrega valor a diversas aplicações.

Ela possui um papel fundamental no aumento da utilidade das aplicações em blockhains, dado que 80% dos contratos inteligentes (aplicações como Uniswap e Synthetix) necessitam de dados que não estão presentes em blockchain.

Por esse motivo, possui um papel fundamental na parte de infraestrutura do mercado das DeFi, permitindo a existência de modelos de negócio como os tokens sintéticos e lending.

Além disso, seu produto VRF (Verificable Randomness) é capaz de gerar números aleatórios fundamentais para a existência blockchain games e que também são essenciais para o universo das aplicações do metaverso — o principal setor em ascensão do mercado de criptomoedas.

Esse processo sinaliza a postura de first mover (primeiro a se posicionar) do projeto em outros formatos de aplicações através de blockchain, o que pode ser uma boa postura devido a expansão de novos segmentos no mercado como a Web 3.0.

Acreditamos que a Chainlink definirá o padrão para preços NFT na rede”, disse um porta-voz do JPEG, plataforma marketplace de NFTs.

Como se já não bastasse, a Chainlink também tem visado expansão no mundo off-chain, buscando parcerias com empresas como a AWS, serviço de Cloud da Amazon, e a  AccuWeather, empresa ligada a dados meteorológicos.

Atualmente, a Chainlink já trabalha com diversas empresas de peso, como a Google, a Intel e a Web3 Foundation.

Crescimento da Chainlink:

O projeto superou a marca dos 75 bilhões de dólares em TVS (Valor Total Garantido) por sua rede, contando com mais de 900 protocolos usando seus sistema.

Isso significa que mais de 75 bilhões de dólares dependem de seus serviços para que as aplicações que estão utilizando esse capital funcionem da forma correta.

Essa marca reforça o grande crescimento que o ativo apresentou neste ano, tanto no segmento de DeFi como na parte de NFT – Games.

Considerações finais:

Os benefícios que a Chainlink traz vão muito além da remoção ou redução de intermediários: o que estamos vendo é o início de uma redefinição do que é a indústria do blockchain, deixando de ser apenas sobre Bitcoin, e apenas sobre tokens, para ser sobre muitas outras coisas.

Quanto menor a distância entre o mundo físico e o virtual, melhor, mais preciso e robusto será todo o ecossistema de criptomoedas.

A ChainLink, principalmente após todas suas melhorias, será a próxima etapa na revolução do blockchain — não à toa tem chamado tanta atenção dos grandes players do mercado, seja off-chain ou on-chain.

Fonte: Livecoins

Marketcrypto.com.br: Livecoins

EnglishGermanPortugueseRussian