LinkedIn lista as principais startups brasileiras em 2020

LinkedIn lista as principais startups brasileiras em 2020

O LinkedIn criou a lista das “Top Startups 2020”, de maneira a reconhecer as principais empresas novas em destaque no país.

Assim, entre as empresas selecionadas, há soluções para vários setores: gastronomia, serviços financeiros, logística e telemedicina, entre outros.

Logo, é importante conhecer as iniciativas que estão chamando a atenção da maior rede social corporativa do mundo.

LinkedIn Top Startups Brasil 2020 (Fonte: LinkedIn)
LinkedIn Top Startups Brasil 2020 (Fonte: LinkedIn)

LinkedIn seleciona dez startups de destaque no país em 2020

A lista das principais startups do Brasil compreende as seguintes empresas:

  1. Menu (SP): auxilia na logística do setor de alimentos e bebidas;
  2. Loft (SP): plataforma de compra e aluguel de imóveis em SP e RJ;
  3. ConsigaMais+ (SP): empresa de empréstimos consignados;
  4. Neon (SP: banco digital e serviços financeiros;
  5. Loggi (SP): serviço de entregas e logística;
  6. Yuca (SP): reforma e aluguel compartilhado de apartamentos;
  7. Xerpa (SP): plataforma de empréstimos e antecipação de salários;
  8. Conexa Saúde (RJ): providencia serviços de telemedicina para empresas;
  9. Buser (SP): aplicativo para viagens intermunicipais;
  10. Zenklub (SP): plataforma de terapia online.

Como é possível perceber, o setor de serviços financeiros tem um grande destaque na lista. Isso tem a ver com o aumento do número de plataformas voltadas à gestão financeira no Brasil.

Recentemente, diversas empresas têm lançado soluções de pagamento digitais.

Dessa maneira, o setor cresceu, com a necessidade de isolamento social decorrente da pandemia do novo coronavírus.

Além disso, essas empresas de serviços financeiros se contrapõem aos bancos tradicionais, ao deixar de cobrar tarifas por saques e transferências.

É possível acompanhar as listas de outros países no LinkedIn

As empresas selecionadas pelo LinkedIn precisavam atender aos seguintes critérios:

  • Máximo de sete anos de existência;
  • Mínimo de 50 funcionários;
  • Ser da iniciativa privada;
  • Ter sede no Brasil.

Desse modo, para o LinkedIn, as empresas da lista mostraram capacidade de resiliência, ao conseguirem tocar os seus negócios durante a pandemia do COVID-19.

Ademais, além das empresas brasileiras, é possível acompanhar as listas de AlemanhaAustráliaCanadáEspanhaEstados UnidosFrançaÍndiaItáliaHolandaReino Unido e Singapura.

Leia também: Minerar Bitcoin não está dando lucro, revelam dados

Leia também: CIA inicia estudos sobre pesquisa e desenvolvimento com blockchain

Leia também: Altcoins vão sofrer dura correção adiante, declara analista

BTC LAST NEWS: Crupto Facil