Instituições compraram Bitcoin de baleias “mão de alface” em 2020

Instituições compraram Bitcoin de baleias "mão de alface" em 2020

As baleias de Bitcoin que tiveram lucro no final de 2020 inadvertidamente venderam seu tesouro em BTC para investidores institucionais que estavam esperando nos bastidores para entrar neste mercado.

É o que afirma um relatório, publicado recentemente por pesquisadores da OKEx Insights.

Portanto, de acordo com o documento, não foram as “sardinhas”, ou seja, os investidores de varejo, que venderam seus BTCs para os grandes fundos de investimento.

Baleias venderam para investidores institucionais 

Os pesquisadores analisaram os dados on-chain da plataforma de análise financeira Catallact. Eles descobriram que o Bitcoin teve uma forte ascensão no quarto trimestre de 2020.

Segundo o relatório, as transações acima de 1.000 BTC aumentaram de aproximadamente 5% para mais de 45% em setembro. Atualmente, permaneceram na faixa de 30% a 40%.

“A conclusão que podemos tirar desses dados on-chain é que os investidores institucionais realmente entraram no espaço do BTC depois que Paul Tudor Jones anunciou sua participação. E eles não pararam quando 2020 chegou ao fim”, disseram.

Para apoiar sua tese, a OKEx cruzou as referências dos dados da rede com algumas grandes compras institucionais verificadas.

Assim, eles perceberam que as compras da MicroStrategy coincidem com o aumento de grandes transações nos gráficos mencionados. Dessa forma, a empresa foi a catalizadora para novas compras institucionais.

Além disso, o relatório analisou o lado dos vendedores para ver quais entidades estavam descarregando enquanto grandes instituições compravam grandes somas de BTC.

Portanto, eles descobriram que a “idade média do BTC” envolvido nas transações aumentou em outubro de 2020. E permaneceu alta até o final do ano, sugerindo que os detentores de longo prazo venderam para a alta.

“Com o lado da oferta do BTC falhando em atender à demanda institucional, conforme a criptomoeda entrou na descoberta de preços, as criptomoedas vendidas aparentemente vieram de detentores de longo prazo e de mineradores de Bitcoin”, disse.

Em outras palavras, os Bitcoiners da velha escola venderam suas “sacolas antigas” para compradores institucionais.

Ou seja, as “mãos de alface” foram as baleias e não as sardinhas, que ficaram firmes durante a alta.

Leia também: Forbes lista 4 criptomoedas que superaram o Bitcoin

Leia também: MicroStrategy fala sobre Bitcoin para 1.000 executivos; o que pode mudar?

Leia também: BNB vai disparar ainda nesta quarta-feira, prevê analista

BTC LAST NEWS: Crupto Facil