Hackers lucram mais ao minerar criptomoedas do que roubando dados das empresas

Hackers lucram mais ao minerar criptomoedas do que roubando dados das empresas

A lógica dos ataques cibernéticos está mudando, após a expansão das criptomoedas ao redor do mundo.

Agora, o foco dos criminosos está em utilizar a rede das empresas hackeadas para minerar criptomoedas.

Essa informação foi divulgada pela Aqua Security, que é uma empresa de segurança cibernética. O relatório foi baseado em dados coletados entre junho de 2019 e julho de 2020.

Criminosos invadem redes para minerar Bitcoin e outras criptomoedas

De acordo com o relatório da Aqua Security, a grande maioria dos ataques em bases de dados mantidas na nuvem é destinada à mineração do Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas.

Assim, mais de 16 mil ataques foram analisados pela empresa, para que ela pudesse entender esse fenômeno. Ela afirma que 95% dos ataques são destinados à mineração, ao invés do roubo ou sequestro de dados corporativos.

As três principais conclusões tiradas após a triagem dos dados foram as seguintes:

  • A maior motivação dos criminosos que atacam os dados em nuvem é a utilização do poder computacional das vítimas para a mineração de criptomoedas.
  • Na comparação com o ano anterior, 2020 observou um aumento dramático nesse tipo de ataque. Ademais, os dados indicam que os ataques são realizados de forma sistemática e organizada.
  • Nos ataques às redes em nuvem, os criminosos utilizam táticas que permitem a invasão por um longo período de tempo.

A ocorrência dos ataques de mineração indica a lucratividade dessa espécie de trabalho.

Mineração de criptomoedas consome cada vez mais energia

A mineração de BTC é essencial para o funcionamento da rede blockchain da criptomoeda.

Contudo, as empresas e piscinas (“pools”) de mineração estão concentrando esforços crescentes no sentido de tornar esse procedimento mais viável.

Nos EUA, por exemplo, algumas empresas estão produzindo a própria energia, através de fontes renováveis, como a solar e a eólica. Elas também fazem a mineração na madrugada ou em outros horários do dia no qual se utiliza menos energia.

Finalmente, ao utilizar o poder computacional alheio para minerar criptomoedas, os hackers “economizam” com os gastos envolvidos na mineração das criptomoedas.

Leia também: Mesmo com riscos, número de day traders dobra em 2020

Leia também: 90% das transações ilegais com criptomoedas não são rastreadas

Leia também: Malware sequestra transações, rouba Bitcoin e minera ETH e XMR

BTC LAST NEWS: Crupto Facil