Ex-colunista da Veja fez R$ 1 milhão com Bitcoin, mas perdeu tudo na Atlas Quantum

Ex-colunista da Veja fez R$ 1 milhão com Bitcoin, mas perdeu tudo na Atlas Quantum

“Eu sou do Bitcoin”. Foi assim que o jornalista e ex-colunista da Revista Veja, Leandro Narloch, começou a contar a sua experiência com a criptomoeda.

Durante o Flow Podcast, Narloch revelou que já chegou a fazer R$ 1 milhão com Bitcoin. No entanto, ele disse que perdeu uma boa parte desse valor.

Isso porque foi mais uma das vítimas da Atlas Quantum, empresa supostamente especializada em arbitragem de criptomoedas que prometia altos rendimentos e que lesou milhares de pessoas.

Ethereum: o novo Bitcoin

Na entrevista, o jornalista contou que em 2014 estava na Inglaterra cursando uma pós-graduação quando leu uma reportagem que falava sobre o Ethereum.

Segundo ele, o texto dizia que a altcoin seria o novo Bitcoin por conta dos contratos inteligentes (smart contracts).

“Eu tinha acabado de comprar 2 Bitcoins de um amigo e aí peguei 30% de um Bitcoin e investi em Ethereum. Eu lembro que estava R$ 1 cada uma. Comprei R$ 600”, contou.

Dois anos depois, em 2016, Narloch já estava em São Paulo quando lembrou do investimento:

“Quando eu vi, aqueles R$ 600 tinham virado R$ 20.000. E aí eu pensei: o que eu faço agora?”

Então, o jornalista disse que resolveu transformar a metade em Bitcoin. Segundo ele, na época, o BTC estava custando US$ 1.000. O restante foi mantido em Ethereum.

“Daí eu ganhei, sei lá, R$ 1 milhão com o negócio.”

Atlas Quantum

Entretanto, o retorno milionário não durou muito tempo, já que o jornalista aplicou o dinheiro na Atlas Quantum:

“Mas depois eu perdi porque eu estava naquela Atlas Quantum, que foi uma pirâmide. Eu perdi uma parte da grana. (…) Ela dava um rendimento bizarro de 3% ao mês. Só que depois todo mundo tentou sacar e os caras não conseguiram honrar.”

Leandro Narloch relatou ainda que os líderes do esquema alegaram que os Bitcoins ficaram bloqueados em corretoras. Mas ele disse que não sabe se é verdade ou mentira:

“Até hoje eu não sei o que aconteceu, mas era muito dinheiro ali. Os caras tinham propaganda no Jornal Nacional (…) Mas enfim… Foi divertido”, disse.

Por fim, Narloch destacou que muitas pessoas dizem que o Bitcoin é um investimento muito arriscado e que não é uma reserva de valor:

“Eu falo: é verdade, ele é muito volátil, mas você investe em real (risos)”, concluiu.

Leia também: Empresas estão interessadas em Bitcoin, aponta pesquisa

Leia também: Cerca de 1.500 Bitcoins são perdidos por dia, aponta relatório

Leia também: Day trader operava com nome da avó para não ser pego pela CVM

BTC LAST NEWS: Crupto Facil