ETF de Bitcoin valoriza 100% em 3 meses

Avatar



O QBTC11, fundo negociado em bolsa (ETF) lançado pela QR Capital, conseguiu alcançar uma valorização de 100% em aproximadamente três meses.

Desenvolvido pela QR Capital, o QBTC11 estreou na bolsa brasileira no dia 23 de junho pelo valor de R$ 10,00. Já nesta segunda-feira (11), o fundo conseguiu alcançar o dobro do seu valor inicial, batendo o preço recorde de R$ 20,00 por cota.

O desempenho do QBTC11 vai de contramão do Ibovespa, indicador mais importante de desempenho da bolsa brasileira. Desde o lançamento do fundo, o IBOV acumula uma desvalorização acima dos 10%, segundo dados do TradingView.

Preço do Bitcoin volta a subir

Mesmo tendo uma estreia discreta na B3, capitalizando apenas R$ 14 milhões em investimentos, o QBTC11 se tornou mais atrativo aos investidores, conseguindo também nesta segunda-feira chegar próximo da marca de R$ 200 milhões em ativos sob gestão.

Sendo o primeiro ETF 100% Bitcoin (BTC) da bolsa brasileira, o crescimento do fundo está totalmente relacionado a nova disparada no preço da maior criptomoeda do mundo. Após meses em tendência de baixa, o BTC retomou seu movimento de alta no final de julho, saltando de R$ 155 mil para os aproximadamente R$ 320 mil no fechamento desta matéria.

Somente em outubro, o Bitcoin acumulou uma valorização de 40%. Com isso, o trader de criptomoedas Valdrin Tahiri estipula que a criptomoeda pode em breve alcançar uma nova máxima histórica.

ETFs cripto no Brasil

A recente valorização do QBTC11 marca o sucesso que fundos cripto estão conseguindo ter no mercado brasileiro. Atualmente, diversas gestoras oferecem opções de investimentos com diferentes graus de exposição a criptomoedas para os seus clientes, com diversos tendo uma grande valorização no primeiro semestre desde ano.

Nesta área, a QR Capital tem tido grande destaque. Além de oferecer o primeiro ETF 100% Bitcoin do país, a gestora lançou em agosto deste ano o QETH11, primeiro ETF baseado em Ethereum (ETH) da América Latina.

Conforme destacado pelo CEO da gestora, Fernando Carvalho, a adesão dos ETFs cripto no mercado brasileiro se deve ao fato deles oferecerem oportunidades de investimento nesses ativos em um ambiente totalmente fiscalizado e regulamentado.

Com isso, os investidores podem estar expostos as flutuações de preços e possíveis valorizações de criptomoedas como Bitcoin e Ethereum, mas sem precisarem comprar e armazenar os ativos, estando menos suscetíveis a golpes e roubos.

 

Marketcrypto.com.br: News

EnglishGermanPortugueseRussian