Empresa de investimentos brasileira ofertará crédito através de blockchain

Empresa de investimentos brasileira ofertará crédito através de blockchain

A empresa brasileira Guide Investimentos vai oferecer crédito aos clientes por meio de tecnologia blockchain

Para isso, a plataforma aberta de investimentos firmou uma parceria com a fintech Nobli. Trata-se de uma startup que foi, inclusive, testada no laboratório de inovação do Banco Central (Bacen).

Empréstimos lastreados por investimentos

Conforme noticiou o Valor Econômico nesta terça-feira (8), a Nobli foi criada para fazer operações de empréstimos lastreadas por investimentos.

Além disso, a plataforma utiliza algoritmos de inteligência artificial e tecnologia blockchain. Com isso, pode analisar o perfil de crédito e carteira de investimentos de cada cliente. 

O diretor de gestão de patrimônio da Guide, Felipe Steinfeld, explicou que iniciativa visa assegurar aos investidores o acesso aos recursos.

“Quanto menos recursos o investidor mantiver em ativos líquidos, com juros baixos, melhor. A longo prazo, o rendimento composto faz uma diferença grande”, afirmou. “Mas se houver necessidade, por uma despesa inesperada ou para aproveitar uma oportunidade com a retomada das ofertas de mercado de capitais, o investidor terá algo com que poderá contar.”

Steinfeld explicou, portanto, que esta não é uma fonte para ser usada como crédito tradicional. Trata-se de uma ferramenta que auxilia o investidor a montar o portfólio da melhor maneira.

O serviço na Guide está disponível a partir desta terça-feira (8), como afirmou Steinfeld.

E a ideia é, aos poucos, abrir para outros ativos, como títulos públicos, ações e até cotas de fundos de investimentos. Assim, o cronograma prevê ter uma oferta completa até 2021.

Sobre a Nobli

A Nobli foi fundada em 2019 por Regio Martins, que foi executivo de produtos da B3. O objetivo da plataforma é ofertar crédito baseado em investimentos independentemente de onde estejam os recursos.

Martins submeteu o projeto ao Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift) do Bacen onde foi testado.

Ainda na fase pré-operacional, a fintech recebeu aportes da Redpoint eventures. A gestora, então, reuniu fundos do Vale do Silício para criar uma carteira dedicada ao Brasil.

Leia também: Busca por fundos de criptomoedas tem grande alta no Brasil em 2020

Leia também: Queda do Bitcoin é vista como oportunidade de compra, apontam dados

Leia também: Brasil lidera a América Latina como país que mais recebe envios de criptomoedas

BTC LAST NEWS: Crupto Facil