Deu Procon: Nubank e Mercado Pago são notificados por polêmica em cadastros do PIX

Deu Procon: Nubank e Mercado Pago são notificados por polêmica em cadastros do PIX

Após as acusações de fraudes no cadastro de chaves de clientes no PIX, o Procon de São Paulo pediu explicações ao Nubank e ao Mercado Pago.

Os clientes reclamam que suas chaves foram cadastradas sem autorização e tiveram problemas para reverter a situação.

Na ocasião, como informou o CriptoFácil, as instituições financeiras negaram as acusações. Agora, elas têm 72 horas para responder aos questionamentos do órgão de proteção ao consumidor.

Guerra de chaves PIX

Conforme noticiou o Estadão na segunda-feira (19), a notificação do Procon ocorre menos de uma semana depois de o Banco Central divulgar um ranking parcial de cadastros de chaves PIX. 

O Nubank lidera a lista, com mais de 8 milhões de cadastros. Já o Mercado Pago vem na sequência, com 4,7 milhões de chaves cadastradas.

O cadastro das chaves teve início no dia 5 de outubro. Desde então, as instituições financeiras vêm travando uma batalha para atrair os usuários.

Essas chaves funcionarão como a identificação da conta do recebedor da transação instantânea. Elas podem ser o CPF/CNPJ, endereço de e-mail ou número de telefone.

Vale ressaltar que a mesma chave não poder ser cadastrada em mais de uma instituição. Ou seja, se o cliente vincular o CPF à sua conta no Nubank, não poderá usá-lo no Mercado Pago, por exemplo.

Questionamentos do Procon

O Procon-SP questiona as fintechs especificamente sobre como e por quais canais está sendo oferecido o cadastro das chaves.

Além disso, o órgão quer saber quais informações estão sendo prestadas antes do cadastro e como é feita a confirmação.

O órgão ainda pergunta como o consumidor pode cancelar o cadastro e se as fintechs verificaram algum problema sistêmico que possa ter resultado no cadastro indevido.

Por fim, o Procon questiona quais providências as fintechs têm adotado para resolver os problemas e quais são os canais de atendimento disponíveis.

Ofício à Febraban

Ao mesmo tempo, o órgão de proteção oficiou à Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

O Procon exige que a federação notifique os bancos para não efetuarem o cadastramento “sem prévia, expressa e inequívoca autorização do cliente que é o consumidor, caso contrário, poderão ser multados por prática abusiva.”

O que alegam as instituições

Procurado pelo Estadão, o Nubank esclareceu que só recebeu duas reclamações e que já foram atendidas.

A fintech também disse que provou aos reclamantes, com evidências, que os registros foram feitos com consentimento.

O Mercado Pago, por sua vez, afirmou em nota que os registros estão sendo feitos em conformidade com as regras.

Por outro lado, declarou que identificou queixas apenas em 0,01% dos 4,5 milhões de cadastros feitos até então.

Leia também: Família de São Paulo paga R$ 2 bilhões em imposto sobre transação internacional

Leia também: Moeda digital municipal é proposta de candidato à Prefeitura de Ribeirão Preto

Leia também: Usuário perde R$ 6 milhões em criptomoedas por usar o endereço errado

BTC LAST NEWS: Crupto Facil