Criptomoedas são menos usadas em crimes do que dinheiro, afirma SWIFT

Criptomoedas são menos usadas em crimes do que dinheiro, afirma SWIFT

O Bitcoin (BTC) e as demais criptomoedas são comumente acusadas de favorecer a lavagem de dinheiro.

Isso acontece porque elas oferecem anonimato aos seus usuários. Além disso, sem as chaves privadas, é extremamente difícil conseguir recuperar os criptoativos da carteira dos criminosos.

No entanto, o dinheiro continua sendo mais utilizado para os crimes do que as criptomoedas.

Quem afirma isso é a SWIFT, maior rede de transações bancárias internacionais do mundo.

Relatório da SWIFT surpreende os críticos das criptomoedas

Por meio de um relatório sobre lavagem de dinheiro, disponível apenas em inglês, a SWIFT afirmou:

“Casos identificados de lavagem de dinheiro através das criptomoedas continuam relativamente escassos, na comparação com o volume de dinheiro lavado através dos métodos tradicionais. Contudo, em um grande caso, um grupo que aplica crimes cibernéticos supostamente converteu fundos roubados em um caixa eletrônico em criptomoedas.”

Na sequência, a empresa aponta alguns casos significantes de crimes envolvendo a utilização das criptomoedas.

Em outro ponto do documento, a SWIFT afirma que o BTC e os demais criptoativos serão cada vez mais procurados para fins criminosos, devido ao anonimato das transações.

Moedas fiduciárias mais populares para o crime

O documento elaborado pela SWIFT aponta que os cartões pré-pagos de BTC podem ser utilizados por criminosos que desejam lavar dinheiro.

Ademais, outra preocupação da empresa está no avanço do ecossistema das criptomoedas.

Assim, através do aumento das possibilidades de conversão das criptomoedas em ativos tangíveis, é possível que elas sejam mais utilizadas para fins ilícitos.

No entanto, tudo isso também se aplica ao dinheiro fiduciário, seja ele na versão física ou digital. Esse é o principal argumento da criptoesfera: o dinheiro e o Bitcoin podem ser utilizados para fins legais ou ilegais.

Desse modo, as criptomoedas são apenas uma ferramenta utilizada pelos criminosos, assim como o dinheiro.

Cabe às autoridades criar mecanismos de prevenção ao crime, em vez de culpar a “ferramenta”.

Finalmente, vale ressaltar que os casos de crimes envolvendo criptomoedas aumentaram consideravelmente em 2020. Como principal causa, está o desconhecimento dos novos usuários sobre o funcionamento dos criptoativos.

Leia também: PIX pode ser a ponte da cédula para as criptomoedas, diz especialista

Leia também: Criptomoeda dispara 33% logo após ser anunciada na Coinbase

Leia também: Antigo crítico do Bitcoin muda de ideia: “você vai precisar de pelo menos 1 BTC”

BTC LAST NEWS: Crupto Facil