Clientes denunciam Midas Trend por estelionato e organização criminosa

Clientes denunciam Midas Trend por estelionato e organização criminosa

Há cerca de um ano, a Midas Trend paralisava os saques de clientes. Foi o início de uma história que lesou diversos investidores.

Desde então, o paradeiro de Deivanir Santos, chefe do esquema, é desconhecido. Contudo, as pessoas lesadas não desistiram de buscar alguma forma de compensação.

Segundo uma notícia-crime encaminhada ao CriptoFácil, a Midas Trend e seus organizadores foram denunciados por estelionato, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Além da denúncia, a notícia-crime contém pedidos de prisão para os denunciados.

Clientes buscam justiça

A notícia-crime inclui, além dos irmãos Deivanir e Devanney, Antônio Luis Lourenço Teixeira e Mônica Santos Lima — esposa de Deivanir.

Segundo o documento obtido pelo CriptoFácil, Mônica era responsável pelo suporte das empresas do grupo Midas Trend.

Ainda de acordo com o conteúdo do documento, Antônio Luis é o responsável por lavar as quantias recebidas pela empresa. Diz um trecho da notícia-crime:

“Assim sendo, existem fortes indícios de que as empresas são utilizadas para a efetivação de transações que permitam que o dinheiro sujo tenha aparência de limpo. Para tanto, se acobertavam nos contratos de distribuição de lucros impossíveis de serem aferidos.”

A denúncia encaminhada descreve todo o esquema da Midas Trend, que oferecia um robô de arbitragem que supostamente fazia operações com criptomoedas.

Na verdade, tudo não passou de um esquema de pirâmide financeira. O dinheiro de novos investidores era utilizado para pagar os “rendimentos” dos investidores mais antigos.

Consequentemente, a redução dos aportes fez todo o esquema ruir. Tudo culminou com Deivanir Santos afirmando que a Midas Trend foi vítima de um “ataque hacker”.

Até mesmo a Dominus Money, nova plataforma da Midas Trend que sequer teve investidores, é tratada na notícia-crime.

Após apresentar indícios das práticas dos crimes de estelionato, organização criminosa e lavagem de dinheiro, são feitos pedidos de:

  • Prisão preventiva;
  • Bloqueio cautelar dos passaportes;
  • Restrição da saída do país;
  • Quebra dos sigilos fiscais;
  • Busca e apreensão de criptoativos em posse de todos os denunciados;
  • Bloqueio dos imóveis pertencentes a todos eles.

Motivação

A notícia-crime foi encaminhada pelo escritório de advocacia Calazans & Vieira Dias.

Jorge Calazans, em conversa com o CriptoFácil, afirmou que centenas de pessoas lesadas buscaram representação na Justiça.

Calazans completa:

“Esses criminosos devem ser parados, foram milhões em prejuízos.”

Até o momento da escrita desta matéria, os investidores lesados pela Midas Trend seguem sem receber da empresa.

Cabe ressaltar que a Midas Trend já foi alvo de denúncia em reportagens de canais como Record e Globo.

A empresa tentou oferecer saque de valores por meio de seu token sem valor. Entretanto, nenhum cliente confiou na empresa.

Leia também: Gestor critica Bitcoin e seu fundo tem pior desempenho de 2020

Leia também: Cantora Megan Thee Stallion dá R$ 5 milhões em Bitcoin no Twitter

Leia também: Baleias planejam correção do Bitcoin para comprar mais barato, alerta trader

BTC LAST NEWS: Crupto Facil