CIA inicia estudos sobre pesquisa e desenvolvimento com blockchain

CIA inicia estudos sobre pesquisa e desenvolvimento com blockchain

A Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA, na sigla em inglês) lançou um novo laboratório de pesquisa e desenvolvimento.

O CIA Labs foi anunciado na segunda-feira (21). De acordo com o anúncio da CIA, o novo laboratório terá a tecnologia blockchain entre suas áreas de foco.

“O CIA Labs conduz pesquisas, desenvolvimento, testes e engenharia multidisciplinares para enfrentar novos desafios; adaptar, melhorar ou acelerar a produção de soluções existentes; e resolver problemas científicos e tecnológicos persistentes de novas maneiras”, explicou a agência.

Foco em tecnologias distribuídas

Entre as funções do novo órgão estarão a pesquisa em “tecnologias habilitadas para ledger/blockchain distribuído”.

Mesmo sendo o foco, a blockchain não será exclusiva. O CIA Labs também pesquisará telecomunicações sem fio, computação quântica, inteligência artificial e análise de dados, entre outras.

Segue abaixo a lista completa:

  • Materiais avançados e fabricação;
  • Inteligência artificial, aprendizado de máquina e análise de dados;
  • Biociência e biotecnologia;
  • Tecnologias habilitadas para livro-razão/blockchain distribuído;
  • Realidade virtual e aumentada;
  • Computação quântica e de alto desempenho;
  • Futuras tecnologias sem fio e de telecomunicações; e
  • Sistemas robóticos, autônomos e de interface humana.

Contribuições externas e patentes

A CIA deseja expandir as atuações do novo laboratório. Para isso, a agência anunciou que aceitará colaborações com outros laboratórios federais e parceiros acadêmicos.

Um formulário de inscrição foi divulgado pela agência para receber propostas de parcerias.

Os oficiais que desenvolverem invenções de tecnologia no laboratório terão permissão para patentear, divulgar e lucrar parcialmente com seu trabalho.

O relatório do MIT observa que os laboratórios darão à CIA um incentivo útil para atrair talentos tecnológicos que, de outra forma, poderiam recorrer aos gigantes do Vale do Silício.

O fato de a CIA, um dos dois centros de quebra de códigos da comunidade de inteligência dos EUA, se interessar em pesquisar uma tecnologia protegida por criptografia não deve ser surpresa para os observadores.

Leia também: Criptomoedas seguem mercado financeiro tradicional com recente queda

Leia também: Hackers invadem MPF e vendem dados por R$ 24 mil em Bitcoin

Leia também: PIX é usado como isca em golpes por e-mail, alerta especialista

BTC LAST NEWS: Crupto Facil