BTC, ETH, XRP, SXP, DCR, THETA, SC – análise técnica de 6 de outubro

Avatar



O Bitcoin (BTC) cresceu acima de um importante nível de resistência e está quase atingindo o topo de setembro.

O Ethereum (ETH) ainda não atingiu a área de resistência de US$ 3.600, enquanto o Ripple (XRP) não conseguiu ultrapassar o nível de US$ 1,06. Já o Swipe (SXP) e o Decred (DCR) voltaram a crescer após atingirem baixas no dia 7 de setembro, mas suas tendências ainda parecem ser de baixa.

O THETA (THETA) rompeu uma cunha de baixa, mas ainda não recuperou a área de resistência de US$ 6,90. Por fim, o Siacoin (SC) rompeu uma linha de tendência de baixa, mas não conseguiu ultrapassar o nível de retração de 0,618 de Fibonacci.

BTC

O BTC está em tendência de alta desde que rompeu uma linha de tendência de baixa na última sexta-feira (1). Isso pôs fim à tendência de baixa que estava em vigor desde o dia 7 de setembro.

A alta foi acentuada no domingo (3), já que o BTC cresceu acima da área de US$ 47.600 e, em seguida, ultrapassou a linha de resistência da supertrend (ícone vermelho). Espera-se agora que a área de US$ 47.600 atue como suporte se o ativo retornar a ela, enquanto a Supertrend se tornou de alta (círculo verde).

A Supertrend é um indicador criado usando preços absolutos de alta e baixa, e o fato de ter ficado verde é um sinal de tendência de alta. Anteriormente, ela era verde durante todo o movimento de alta entre 20 de julho e 7 de setembro. Da mesma forma, o MACD e o RSI também estão indicando alta, conforme explicado nesta análise.

Gráfico do BTC no TradingView

ETH

A ETH está mostrando um movimento muito parecido com o Bitcoin. No entanto, há uma diferença notável no fato de que a criptomoeda ainda não se moveu acima da área de resistência horizontal de US$ 3.600. Portanto, é possível dizer que o ativo está espelhando o movimento do BTC com um ligeiro atraso.

Os movimentos do MACD e do RSI também são semelhantes aos do BTC, com a diferença de que o MACD ainda não é positivo, embora seu histograma seja crescente (ícone verde). Isso significa que, embora a tendência de curto prazo esteja indicando alta a uma taxa mais rápida do que a tendência de longo prazo, ela ainda não foi superada.

O movimento desta quarta-feira (6) será crucial, uma vez que um fechamento abaixo de US$ 3.386 criaria um candle de engolfo de baixa. Este seria um sinal de baixa, uma vez que todo o movimento de alta do dia anterior ficaria anulado.

Gráfico do ETH no TradingView

XRP

A XRP é negociada dentro de um canal de alta desde o dia 22 de julho. No começo, este movimento elevou o token acima da área de resistência de US$ 1,06. No entanto, ele se mostrou apenas um desvio e foi seguido por um movimento de queda acentuado na manhã de quarta-feira (6).

Enquanto a XRP estiver sendo negociada dentro desse canal, o movimento de curto prazo pode ser considerado de baixa. Os canais paralelos geralmente contêm movimentos corretivos, o que significa que a tendência anterior, que era de baixa, provavelmente será retomada após a conclusão do canal.

Gráfico do XRP no TradingView

DCR

O DCR seguia uma linha de tendência de baixa desde o dia 2 de setembro, quando atingiu uma alta de US$ 186. Embora o ativo tenha conseguido romper essa linha no domingo, a tendência ainda não é de alta.

Os indicadores técnicos mencionados acima são todos de baixa para o DCR. A linha da Supertrend é de baixa (ícone vermelho) e não foi ultrapassada. Além disso, o RSI está abaixo de 50 e o MACD é negativo, o que indica uma tendência de baixa.

Gráfico do DCR no TradingView

SXP

O SXP também está seguindo uma linha de tendência de baixa, desde 7 de setembro. Isso levou a uma mínima de US$ 1,95 alcançada no dia 21 de setembro.

Embora o token tenha se recuperado desde então, o movimento anterior de baixa foi um impulso de baixa de cinco ondas. Isso significa que é provável que a tendência primária seja de queda e o movimento de alta seja apenas uma correção em resposta a essa queda.

Há uma resistência muito forte em US$ 2,95, criada pelo nível de retração de 0,382 de Fibonacci e a linha de tendência de baixa. Até que essa linha seja recuperada, a tendência não pode ser considerada de alta.

Gráfico do SXP no TradingView

THETA

O THETA está subindo desde domingo, quando rompeu pela primeira vez uma cunha de baixa. Isso indicou que o período de consolidação que vinha acontecendo desde 7 de setembro tinha terminado.

No entanto, o ativo ainda não recuperou a área de resistência de US$ 6,90, que é um pré-requisito para o preço voltar a subir. No entanto, enquanto a atual linha de tendência de alta estiver em vigor, a tendência pode ser considerada de alta.

Gráfico do THETA no TradingView

SC

No domingo, o SC rompeu uma linha de tendência de baixa. Ele retomou seu movimento de alta e atingiu uma máxima de US$ 0,023 nesta quarta-feira. Apesar da subida considerável, a ação do preço não é otimista.

A criptomoeda não conseguiu ultrapassar o nível de retração de 0,618 de Fibonacci e criou uma sombra muito longa no candle. Isso é considerado um sinal de pressão de venda, uma vez que os preços mais altos não puderam ser sustentados.

Gráfico do SC no TradingView

O artigo BTC, ETH, XRP, SXP, DCR, THETA, SC – análise técnica de 6 de outubro foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.

Marketcrypto.com.br: News

EnglishGermanPortugueseRussian