Bitcoin domina 93,5% do mercado de criptomoedas, defende especialista

Bitcoin domina 93,5% do mercado de criptomoedas, defende especialista

A taxa de dominância do Bitcoin (BTC) indica o tamanho da fatia de mercado que o BTC ocupa, entre todas as criptomoedas.

De acordo com os dados do TradingView, a dominância atual do Bitcoin é de 61,80% do mercado.

Porém, uma análise diferente da convencional está causando polêmica na criptoesfera: a taxa de dominância “real” do Bitcoin.

Assim, ao excluir as stablecoins e as redes de aplicativos como a blockchain do Ethereum (ETH), a taxa de dominância real do BTC alcança 93,5% do mercado.

Índice aponta domínio do BTC no mercado de criptomoedas

O Bitcoin domina a maior parte do mercado de criptomoedas.

Essa é uma realidade mesmo para a taxa de dominância “tradicional”, que considera todas as criptomoedas existentes.

Entretanto, ao excluir a blockchain do ETH e as stablecoins, a dominância do BTC dispara:

Taxa de dominância real do Bitcoin
Taxa de dominância real do Bitcoin

A imagem foi publicada por Michael Saylor, que é o CEO da MicroStrategy.

Vale ressaltar que a MicroStrategy ganhou notoriedade na criptoesfera, ao se tornar a primeira companhia listada na Nasdaq a investir oficialmente em BTC.

Segundo a taxa de dominância real, o Bitcoin passou de 71,05% para 93,57% de ocupação do mercado das criptomoedas.

Na mesma época, a taxa de dominância convencional do BTC despencou.

Isso ocorreu porque diversos usuários aproveitaram a alta no preço da criptomoeda para vender a sua reserva.

Parte dos entusiastas não concorda

Diversos usuários do Twitter elogiaram o estudo publicado pelo CEO da MicroStrategy.

No entanto, a métrica é contestada por parte dos entusiastas das criptomoedas:

Crítica à taxa de dominância real do Bitcoin
Crítica à taxa de dominância real do Bitcoin

“Com todo o respeito, mas esse é a pior explicação que eu já vi para ‘entender uma modalidade de investimento’. Como você pode investir US$ 475 milhões sem entender a dominância? O ETH possui mais transações em número, valor, taxas e usuários, mas não é um ‘criptoativo de rede como o Bitcoin’!?”

A crítica se refere ao fato de que Saylor excluiu as stablecoins e o ETH do cálculo por considerar que essas redes blockchain são mais voltadas às aplicações.

Na visão de Saylor, o BTC é uma rede que privilegia o valor do ativo.

Finalmente, a taxa de dominância real mostra que o Bitcoin possui bastante força entre as criptomoedas.

Entretanto, não há como ignorar o papel das stablecoins e das aplicações baseadas na blockchain do ETH para o mercado das criptomoedas.

Leia também: Indicadores apontam: é hora de comprar Bitcoin

Leia também: Desde 2019, Bitcoin é o ativo com maior rendimento no Brasil

Leia também: Fundo dos Rockefeller adquire R$ 60 milhões em Bitcoin

BTC LAST NEWS: Crupto Facil