Banco Central de Portugal passa a supervisionar criptomoedas no país

Banco Central de Portugal passa a supervisionar criptomoedas no país

O Banco de Portugal (BdP) assumirá a supervisão das entidades que gerem ativos virtuais. A notícia foi divulgada pelo site Observador na terça-feira (8).

A medida faz parte da adequação do BdP às diretrizes da União Europeia para combate à lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo.

De acordo com o comunicado enviado pelo banco, o BdP passará a ser responsável pelas seguintes áreas.

  • Registo das entidades que exerçam serviços de troca entre ativos virtuais e moedas fiduciárias ou entre um ou mais ativos virtuais;
  • Serviços de transferência de ativos virtuais e/ou serviços de guarda ou guarda e administração de ativos virtuais;
  • Instrumentos que permitam controlar, deter, armazenar ou transferir esses ativos, incluindo chaves criptográficas privadas.

Classificação de criptoativos

O BdP informou que a sua atuação no mercado de criptoativos se dará exclusivamente no combate aos crimes. Assim, a instituição “não se alargará a outros domínios, de natureza prudencial, comportamental ou outra”.

Dessa forma, a natureza regulatória dos criptoativos ainda está em aberto no país. Porém, algumas indicações já foram colocadas na mesa.

Em 2018, o então presidente do BdP Carlos Costa, afirmou que criptomoedas são ativos de investimento, e não moedas. Costa foi substituído por Mário Centeno em 2020.

Nessa altura, tanto o BdP quanto a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) já tinham feito diversos alertas para os riscos relacionados às criptomoedas.

O BdP já havia recomendado às instituições de crédito, pagamento e às instituições de moeda eletrônica sujeitas à sua supervisão que se abstivessem de comprar, deter ou vender moedas digitais.

A compra de criptoativos tem sido adotada em vários países. Na Alemanha, os bancos foram autorizados a efetuar a custódia de criptoativos. Pelo menos 40 bancos já mostraram interesse no serviço.

Já nos EUA, o Gabinete Controlador da Moeda (OCC) autorizou que bancos fizessem a custódia de criptoativos. O anúncio foi divulgado no final de julho.

Leia também: Mercado prevê queda maior no PIB brasileiro em 2020

Leia também: Senadora propõe blockchain para emitir Nota Fiscal Eletrônica

Leia também: Setembro é o pior mês para o Bitcoin, aponta relatório

BTC LAST NEWS: Crupto Facil