Atualização Taproot do Bitcoin é inútil, segundo críticos

Avatar



Analistas criticaram a atualização Taproot do Bitcoin (BTC), afirmando ser uma “pequena melhoria em uma tecnologia que já está obsoleta”.

O Taproot foi ao ar no último sábado (13), sendo considerada a primeira atualização “importante” da rede Bitcoin desde 2017. Com ela, os usuários podem esperar que as transações se tornem mais baratas, rápidas, seguras e privadas. O upgrade também melhorará a funcionalidade de contratos inteligentes na rede.

“A atualização Taproot é interessante e um passo na direção certa, mas não muda o fato de que o Bitcoin está tecnologicamente muito atrás de outras blockchains”, disse Marek Kirejczyk, CTO da TrustToken, que opera os protocolos de empréstimos de finanças descentralizadas (DeFi) TrueFi e stablecoin TUSD.

Marek, um desenvolvedor de software que fundou algumas startups com ideias semelhantes, argumenta que a nova tecnologia “melhora ligeiramente a privacidade e o rendimento, mas fundamentalmente nada”. Em entrevista exclusiva, ele afirma:

“Esta é a tecnologia usada na Monero anos atrás. Enquanto outras blockchains, como o Ethereum, implementam soluções radicais de escalabilidade, como Layer 2 e sharding, o Bitcoin está passando por uma pequena atualização.”

Marek citou Tornado Cash, que é construído usando uma tecnologia chamada Zero Knowledge, como um exemplo de uma “solução verdadeiramente privada”. Ele repreendeu os desenvolvedores de Bitcoin por “fazerem pequenas melhorias em uma tecnologia que já está obsoleta”.

“É encorajador ver o progresso do Bitcoin, mas com tão pouco progresso, é quase como se ele não estivesse fazendo nada”, acrescentou.

Taproot e privacidade

Taproot é o resultado de diversas propostas de melhoria do Bitcoin (BIPs), supostamente destinadas a, entre outras coisas, melhorar a privacidade, obscurecendo as transações a fim de torná-las mais difíceis de serem rastreadas, de acordo com os desenvolvedores.

Simon Lindh, criador do Mempool, um projeto de código aberto que desenvolve e opera um explorador para a comunidade Bitcoin, disse em um tuite: “Taproot permite Coinswaps invisíveis que pela primeira vez quebram os traços de suas moedas como um Coinjoin”.

“As empresas de análise agora não têm chance”, enfatizou. Mas isso pode não ser necessariamente verdade, dizem os críticos.

“Ainda pode ser rastreado”, respondeu um usuário. “O Bitcoin não tem privacidade como a Monero, então a análise da cadeia ainda pode rastreá-lo mesmo após a atualização Taproot.”

Lindh admitiu que isso é “verdade até certo ponto”, mas afirmou que “se você trocar o Coinswap logo após comprar com KYC [conheça seu cliente], suas moedas são limpas e seu gasto não pode ser rastreado até as moedas que você acabou de comprar. ”

Crosshairs regulatórios

Além disso, uma rede Bitcoin mais voltada para a privacidade provavelmente entrará em conflito com as leis de combate à lavagem de dinheiro (AML), algo cada vez mais exigido por reguladores de todo o mundo. Os reguladores há muito tempo têm como alvo as principais criptomoedas, consideradas uma ferramenta para os envolvidos em uma série de atividades ilegais.

“O Bitcoin acaba de anunciar sua primeira atualização desde 2017. Boas notícias para lavagem de dinheiro, evasão de impostos e outras atividades ilegais. Os vigaristas devem estar pulando de alegria”, ridicularizou Steve Hanke, um conhecido crítico do Bitcoin e professor de economia.

Em dezembro de 2020, a U.S. Financial Crimes Enforcement Network (Fincen), uma agência governamental encarregada de rastrear transações financeiras para conter questões de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, revelou planos específicos para perseguir ativos cripto.

A instituição propôs novas regras que exigem que os intermediários financeiros, como as exchanges de criptografia, relatem e verifiquem as identidades dos usuários que fazem transações por meio de carteiras não hospedadas. Os reguladores na Europa também estão endurecendo a legislação em torno da lavagem de dinheiro, visando especificamente as transações cripto.

O Taproot também torna as atualizações futuras do Bitcoin mais fáceis ao reformar a linguagem de script do Bitcoin, dizem os desenvolvedores.

No entanto, o Cryptowhale descreveu a atualização Taproot como “uma pequena mudança inútil e exagerada no código do Bitcoin que realmente não faz nada. Tudo o que ele pode fazer é transformar transações complexas em simples, o que 99% das altcoins já fazem. Bitcoin está tão atrás de outras criptomoedas que é constrangedor!”.

O artigo Atualização Taproot do Bitcoin é inútil, segundo críticos foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.

Marketcrypto.com.br: News

EnglishGermanPortugueseRussian