Ataque contra o Bitcoin é possível, mas custa R$ 37 bilhões

Ataque contra o Bitcoin é possível, mas custa R$ 37 bilhões

Um ataque à rede do Bitcoin é um dos maiores temores de muitas pessoas. E para Michael Green, sócio da empresa de consultoria de investimentos Logica Capital, a China tem amplas condições de fazer isso.

Green deu o seu alerta durante um debate com Anthony Pompliano, entusiasta do Bitcoin. A conversa foi registrada e publicada no canal Real Vision, ligado ao também entusiasta Raoul Pal.

Ataque de R$ 37 bilhões

Em sua fala, Green enfatizou a dominância da China na mineração de Bitcoin. O país concentra cerca de 65% de todo o poder de processamento (hashrate) da rede.

Para ele, a China poderia gastar até US$ 7 bilhões – R$ 37 bilhões na cotação atual – e paralisar toda a rede. O custo, segundo Green, seria ínfimo para a segunda maior economia do mundo.

“A estimativa atual de quanto custaria desligar a rede Bitcoin se, por exemplo, a China decidisse simplesmente começar a minerar blocos vazios é de cerca de US $ 7 bilhões por ano. Para um estado-nação, isso não é nada”, alertou.

Pompliano rebateu a afirmação citando a descentralização da rede do Bitcoin. Ele a classificou como a rede de computação mais forte do mundo em todas as medidas.

Ele observou a recente “diversificação” do hashrate, citando aumento da atividade de mineração nos Estados Unidos. Contudo, Green insistiu na tese de concentração.

“A grande maioria da atividade de mineração está ocorrendo em regiões como China, Rússia e Irã. Se somarmos a participação dos pools de mineração, eles controlam mais de 90% da taxa de hash. Este não é um sistema descentralizado”, disse.

Temores sobre a rede

Os temores sobre a segurança do Bitcoin existem desde a criação da criptomoeda. No entanto, jamais um ataque ocorreu nos últimos 12 anos.

Segundo o site Crypto51, que mede os custos para realizar ataques em criptomoedas, o custo de tomar a rede do Bitcoin por uma hora seria de US$ 716 mil. Isso equivale a R$ 3,7 milhões na cotação atual.

Olhando os números, os R$ 37 bilhões apontados por Green parecem suficientes. No entanto, esse valor é para coordenar apenas uma hora de ataque.

E isso sem contar com as dezenas de milhares de nós e mineradores que estariam em busca de identificar fraudes na rede.

Recentemente, a BitMEX Research anunciou a descoberta de uma transação de gasto-duplo na rede. Isso teria potencial de destruir por completo a confiança no Bitcoin e, portanto, seu valor.

No entanto, a transação revelou-se um alarme falso. Um pesquisador explicou que não passava de um bloco “vencido” — no sentido de expirado.

Um bloco se torna vencido quando ele surge de uma bifurcação na rede, apenas para ser excluído na conclusão do próximo bloco.

Leia também: Dogecoin salta 40% em uma hora com apoio de Elon Musk

Leia também: Instituições compraram Bitcoin de baleias “mão de alface” em 2020

Leia também: Michael Jordan sofre perda “catastrófica” com alta da GameStop

BTC LAST NEWS: Crupto Facil