América Latina é região que menos investe em criptomoedas no mundo

América Latina é região que menos investe em criptomoedas no mundo

A Universidade de Cambridge realizou um estudo extenso sobre o mercado de criptomoedas global.

Diversas empresas contribuíram para a pesquisa, incluindo o Mercado Bitcoin e a NovaDAX.

Assim, descobriu-se que as empresas e fundos situados América Latina investem pouco em criptomoedas, comparados ao restante do mundo.

Além disso, a região é a que apresenta o menor número de empresas de crescimento rápido no globo.

Empresas da América Latina investem pouco em criptomoedas

A adoção institucional das criptomoedas é aquela realizada por empresas, fundos de investimento e outras instituições.

Esse tipo de investimento é relevante, já que atrai um grande volume de dinheiro para o mercado das criptomoedas.

No entanto, o investimento de empresas e outras instituições em criptomoedas ainda é pequeno na América Latina:

Base de consumidores por tipo em cada região do globo
Base de consumidores por tipo em cada região do globo

Conforme se observa no gráfico, disponível no estudo de Cambridge, 82% dos usuários de criptomoedas na região são clientes de varejo.

Ademais, apenas 10% dos investidores de criptomoedas são empresas e outras instituições. Por outro lado, 5% dessa base de clientes é desconhecida.

Para efeito de comparação, 30% dos clientes de criptomoedas são institucionais, na América do Norte e na Europa. Na Ásia, a proporção é de 16%, enquanto na África e no Oriente Médio é de 20%.

Dessa maneira, os números indicam que ainda há bastante espaço para o crescimento do investimento em criptomoedas por parte das empresas na região latino-americana.

Empresas locais são importantes

As criptomoedas possuem um alcance global.

Entretanto, a maior parte dos serviços fornecidos por empresas da área são destinados aos clientes que habitam a mesma região:

Distribuição geográfica da base de consumidores
Distribuição geográfica da base de consumidores

A imagem mostra a distribuição geográfica da base de consumidores das empresas situadas em cada região do mundo.

Logo, 76% das empresas – exchanges, fundos de investimentos e outros negócios – situadas na América Latina fornecem serviços para clientes da mesma localidade.

Em todas as outras regiões do globo, essa proporção é menor.

Isso indica que as empresas situadas fora da América Latina possuem alcance transcontinental, enquanto as empresas locais são mais focadas nos clientes mais próximos.

Poucas empresas de crescimento rápido

As empresas de crescimento rápido são aquelas em que o número de funcionários registrados cresce num ritmo superior a 10% ao ano, num período de três anos.

No estudo, os pesquisadores indicam que as empresas de crescimento rápido correspondem a 25% das companhias do setor de criptomoedas.

Assim como os demais indicadores, a América Latina ficou para trás das demais regiões:

Empresas de crescimento rápido por região
Empresas de crescimento rápido por região

A América Latina possui apenas 13% do total de empresas de crescimento rápido no mundo. O número está abaixo da média mundial, que é de 13%.

Finalmente, a pesquisa indica que a região latino-americana tem um grande potencial não-explorado de crescimento, no setor das criptomoedas.

Leia também: Dólar pode impedir nova alta do Bitcoin, aponta analista

Leia também: Brasil é o segundo país que mais usa criptomoedas no mundo

Leia também: União Europeia quer regulamentar criptomoedas em novo plano

BTC LAST NEWS: Crupto Facil