Ações do Bradesco, Vale e Petrobrás dão prejuízo a investidores

Ações do Bradesco, Vale e Petrobrás dão prejuízo a investidores

O mercado de ações é tido como um investimento relativamente seguro a longo prazo.

Contudo, sequer as ações das principais empresas listadas na B3 Bovespa estão a salvo dos prejuízos.

De acordo com um estudo realizado recentemente, o retorno das ações de diversas empresas é negativo no período entre 2008 e 2020.

Ações de grandes empresas com retorno negativo

No Twitter, a QR Capital publicou a seguinte mensagem:

QR Capital sobre algumas ações
QR Capital

Dessa maneira, é possível perceber que as empresas de tecnologia apresentaram um grande retorno financeiro desde 2008.

Contudo, em 2008, a Netflix e a Amazon não contavam da reputação de mercado atual.

Logo, é difícil imaginar que os investidores pudessem estar cientes sobre o potencial de crescimento dessas empresas.

Por outro lado, o Bradesco apresenta um retorno negativo de 28% entre 2008 e 2020. Além disso, o Bank of America aponta para um prejuízo ainda maior, de 32,6%.

No caso da Vale, o investidor que segurou as ações durante o período de 12 anos perdeu 45% do capital investido.

A Petrobrás, por sua vez, proporcionou uma perda de 75% aos investidores que não abriram mão das suas ações.

Bitcoin com grandes retornos desde 2009

O Bitcoin (BTC) foi lançado apenas em 2009, sendo consequência indireta da quebra do Lehman Brothers.

Isso porque a crise gerada pelo estouro da bolha imobiliária foi o motivo da falência do Lehman Brothers e outras empresas.

Acredita-se que a revolta de Satoshi Nakamoto em relação ao sistema financeiro o motivou a criar o Bitcoin. Para ele, o Bitcoin foi uma resposta às instituições que centralizam as transações financeiras, como os bancos.

Assim, quando foi criado, o BTC valia algo próximo a zero.

Uma das primeiras cotações da criptomoeda foi de US$ 0,0008, logo em 2010. No momento da escrita desta matéria, o BTC está cotado a US$ 10.888.

Em outras palavras, trata-se de uma valorização de 1.360.900%.

Finalmente, vale destacar que o BTC era desconhecido pela grande maioria da população em 2010. Portanto, poucas pessoas foram capazes de aproveitar tamanha valorização da criptomoeda.

Leia também: Maior inimigo do Bitcoin será o Estado, aponta pesquisa

Leia também: Ethereum 2.0 fica mais próximo com proposta para mudar a rede

Leia também: Criptomoeda oferece dinheiro para quem cumpre desafios na vida real

BTC LAST NEWS: Crupto Facil