6 fatos históricos da Dogecoin, a queridinha da comunidade

Confira os 6 fatos históricos da Dogecoin, a queridinha da comunidade

Dogecoin é uma criptomoeda popular e ativa na comunidade. No dia 28 de janeiro, a moeda digital atingiu um novo recorde depois de ser impulsionada pelo grupo WallStreetBets.

Fundada em 2013 pelo empresário australiano Jackson Palmer e pelo engenheiro de software, Billy Markus, DOGE chegou a ficar por um período de tempo entre as 10 maiores criptomoedas do mercado.

DOGE: Criptomoeda meme

A criptomoeda em um momento em que diversas criptomoedas inundavam o mercado. O projeto gira em torno do simbólico cachorro japonês Shibu Inu e tinha a intenção de ser um meme.

Essa cultura comunitária autodepreciativa é particularmente popular entre os primeiros adeptos da criptomoeda.

Prova disso é que, desde 2015, a Dogecoin não tem nenhuma atualização em seu protocolo e não mudou nada.

Mas mesmo sendo um meme, DOGE tem experimentado flutuações de preços loucas. Esses movimentos são causados, principalmente, por sua fama de criptomoeda meme.

Portanto, desafios no TikTok envolvendo a moeda digital e o reconhecimento de diversas celebridades, contribuíram para o aumento do preço.

Primeira alta da DOGE

O primeiro grande aumento da Dogecoin começou por volta de 10 de março de 2017. Na ocasião, um aumento significativo no investimento de varejo começou a inundar o mercado de criptomoedas pela primeira vez.

Nesse sentido, por aproximadamente 70 dias, a criptomoeda aumentou mais de 1.890%, saindo de US$ 0,00021 e atingindo um pico de US$ 0,0042 em 21 de maio.

Entretanto, em seguida, Dogecoin caiu 75% durante uma correção de mercado de duas semanas, que afetou todas as criptomoedas.

Bitcoin ajuda a impulsionar a Dogecoin

Já em novembro de 2017, o grande impulso de compra voltou ao mercado de criptomoedas. Assim, o enorme volume de transações empurrou o Bitcoin para o patamar de US$ 19.783.

O valor de mercado global da criptomoeda atingiu a impressionante marca de US$ 830 bilhões e projetos de baixo valor de mercado como a Dogecoin foram beneficiados.

Com isso, em 7 de janeiro de 2018, a Dogecoin quebrou a marca de US$ 0,02. Nada menos que 380% acima da alta anterior.

No entanto, isso durou muito pouco e, em oito dias, o preço caiu mais de 70%.

Recuperação do mercado no mercado baixista de 2018

Em 14 de abril de 2018, pouco antes de todo o mercado entrar no “bear market”, a DOGE subiu de US$ 0,0020 para US$ 0,0041. Ou seja, um aumento de 103%.

Mas o primeiro grande rali não relacionada ao restante do mercado ocorreu quando foi realizado um teste de sistema de conectividade entre Dogecoin/Ethereum em setembro de 2018. O sistema permitiria a interoperabilidade entre as duas blockchains.

Dessa forma, o anúncio reacendeu o apoio da comunidade ao projeto e o preço do Dogecoin aumentou 173% em 48 horas.

No entanto, foi descoberto posteriormente que, devido ao colapso do preço do Ethereum, não havia fundos suficientes para continuar a desenvolver o protocolo, que então foi arquivado.

WallStreetBets e TikTok

Em 2020, um desafio publicado na rede social TikTok viralizou.

O desafio incentivava os usuários da rede social a investirem na criptomoeda e a venderem a US$ 1. Isso, segundo o desafio, ia fazer os investidores receberem US$ 10 mil em lucros.

Em seguida, em menos de uma semana, a Dogecoin viu um aumento exponencial em seu valor, subindo cerca de 18% para US$ 0,0027 e ficando na 35ª posição em valor de mercado.

Já em 11 de janeiro de 2021, o mercado financeiro tradicional foi surpreendido pela ação do grupo WallStreetBets (WSB).

Formado por corretores de ações amadores, o grupo decidiu se unir e investir em ações que os grandes fundos apostavam que iam cair de valor, como GameStop, BlackBerry, AMC, Nokia e Bed Bath & Beyond.

A ação foi um sucesso e elevou as ações da GameStop a ter um aumento de mais de 400%. Em contrapartida, acabou “quebrando” os fundos que apostavam na queda.

O movimento ganhou fama e atraiu posições contrárias dos reguladores que tomaram ações para reprimir o grupo.

Em 28 de janeiro, o frenesi do mercado de ações WSB se espalhou para Dogecoin e impulsionou a maior alta de criptomoedas até hoje.

Em menos de dois dias, o Dogecoin atingiu uma alta recorde de US$ 0,087, um aumento de 1100%.

Leia também: Baidu até NBA: Forbes lista 50 grandes empresas que usam blockchain

Leia também: Ethereum rompe topo e preço pode disparar, apontam especialistas

Leia também: Chainlink pode valorizar 300% em 2021; analista dá motivos

BTC LAST NEWS: Crupto Facil